sábado, 26 de junho de 2010

Ouvi esses dias...


Ouvi esses dias, de um jardineiro... "é preciso alimentar as plantas, alimentar com água, senão elas secam."

E nós, enquanto seres humanos... de que alimento necessitamos? O que podemos ou precisamos fazer para crescermos como as plantas daquele jardineiro?

Pense nisso...

Beijo grande!

Abraços


Comunicado

Meu desejo com esta postagem, é somente informar aos que desejarem publicar comentários neste blog, que o espaço está aberto para discussões e reflexões a respeito dos temas abordados por mim e claro, por quem mais se interessar ou sugerir. Porém, gostaria que não se misturassem os sentidos, de tal forma que o espaço para comentário, fosse utilizado de forma desrespeitosa. Acredito que para mim, para os seguidores do blog e para as pessoas que passarem por aqui... para todos nós, é importante que ele cresça e espalhe o bem. Do contrário, não teria razão para existir! Por isso, não será mais permitido postagens anônimas.
Abraços e um ótimo fim de semana para todos!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Enfrentando as dificuldades da vida

Ontem assisti uma colega de profissão, apresentando uma pesquisa sobre resiliência. Para quem não sabe o que significa, trata-se "da capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas" (Fonte: Wikipedia).

Hoje no consultório, atendi uma paciente bastante querida, exemplo de ser humano que conquistou através do enfrentamento de diversas dificuldades, o privilégio de dizer: - “Apesar de tudo que sofri e me fizeram sofrer, sou feliz, muito feliz.”

Uma senhora, que na já infância vivenciou grandes dificuldades. Esteve próxima do fim da vida aos 9 anos e refere que desejou muito viver, por isso pediu a Deus que lhe poupasse.

Cresceu como parte de uma família em que seus genitores eram pessoas sem escolaridade e batalhadores. Descreve uma relação familiar permeada de muitas cobranças. Desde criança, aprendeu a ter responsabilidades de adulto, contribuindo com o sustento da casa. Pouco recebeu de demonstração de afeto e/ou carinho. Porém, não fugiu às responsabilidades e cumpriu com o papel que lhe foi dado pela família.

Casou-se aos 17 anos, considera que foi um casamento precoce. E apesar das dificuldades, viveu para seu esposo e seus 4 filhos. Viveu ainda, o desafio de muitos anos sofrendo com situações vexatórias e de desvalorização. Foi tratada assim, por pessoas que descontentes com suas vidas, transferiram para a mesma, todos os sentimentos negativos que carregavam. Sentiu-se muitas vezes humilhada.

Vivenciou sucessivas perdas, considera como as mais difíceis, as perdas afetivas pela morte de sua filha ainda adolescente e acometida por doença grave e fora de possibilidades curativas; e há 7 anos, do cônjuge.

O que se destaca nesta paciente, é o modo de enfrentamento com que a mesma vivenciou todas as dificuldades. Em nenhum momento, desconsidera suas dores; porém, consegue destacar tudo que conseguiu; seu crescimento pessoal, as respostas dadas ao sofrimento e a conseqüência delas em sua vida. “Sou feliz. As pessoas estranham minha felicidade e eu só digo que não vou viver lamentando, pra quê se isso não resolve?”

Essa paciente reconhece e expressa sua dor, principalmente diante dos rompimentos e perdas. Mas realizou e como realizou! Viveu e vive intensamente cada dia de sua vida! Tem uma vivacidade invejável. Um amor pela vida... autêntico, verdadeiro. Diz com toda a sabedoria conquistada, que faz a sua parte e não tem porquê não perdoar quem lhe fez mal, principalmente porque aprendeu a dizer tudo que sente e a não guardar mais nada.

Ela fala e faz o que precisa para ser feliz. Mesmo que o outro não aceite sua alegria ou perceba seu cuidado, continua por aí espalhando alegria e bom exemplo, de que felicidade boa é aquela que conquistamos. A felicidade “esperada”, é a que nunca chega ou se concretiza.


Beijo grande... ótima semana para todos vocês!!!
.

"O importante não é o que fazemos de nós, mas o que nós fazemos daquilo que fazem de nós."
(JEAN PAUL SARTRE )

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Assista e reflita

Recebi ontem este vídeo, de uma professora muito querida, que tem sempre muito que compartilhar e ensinar. Já havia assistido numa Conferência do qual participei no ano passado. Quando assisti, me emocionei e refleti bastante, principalmente porque trabalho com pacientes e familiares que vivenciam essas dificuldades. Deixo o vídeo para os que se interessarem e me coloco a disposição para esclarecer dúvidas sobre o que irão assistir.
Realizo um grupo mensal para familiares e cuidadores de pacientes com diagnóstico de Doença de Alzheimer e outras demências, caso alguém se interesse ou necessite de orientação e/ou suporte emocional, pode entrar em contato.
Beijo e um ótimo dia para todos!
video

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Compartilhando mais uma vez


"Depois de estar cansado de procurar,

aprendi a encontrar.

Depois de um vento me ter feito frente,

navego com todos os ventos."


(Nietzsche)

sábado, 12 de junho de 2010

Presente do dia dos namorados


Dia dos namorados ... cada um do jeito que pode ou do jeito que consegue, aproveita o dia ao lado de quem ama ou na expectativa de que no próximo ano, terá um amor para passar o dia e/ou a noite do dia 12 de junho.... bem acompanhado, claro!

Hoje é dia de presentear as pessoas que tanto amamos, namorados (as) e todos que nos fazem bem, que cuidam e são importantes para nós! Vale se presentear também! Desejo a todos, um ótimo dia!



Esse é o meu presente para todos vocês:



"Quero amá-lo sem oprimi-lo,

apreciá-lo sem julgá-lo,

unir-me a você sem invadi-lo,

convidá-lo sem nada exigir,

deixá-lo sem culpa,

avaliá-lo sem censurá-lo

e ajudá-lo sem insultá-lo.

Se eu puder ter o mesmo de você,

então podemos realmente nos encontrar e enriquecer um ao outro."

(Virginia Satir)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

A tal da dona felicidade...


Hoje fui ao supermercado e enquanto esperava na fila do caixa, li no banner que estava dentro do estabelecimento, algo parecido com: “o que deixa você feliz?” Pensei cá com meus botões: – neste momento adoraria que a fila andasse! Aproveitei o tempo em que precisaria esperar e fiquei pensando a respeito desse ESTADO, desse sentimento tão almejado... FELICIDADE. Quem não deseja encontrar a felicidade? Acredito que todo e qualquer ser humano, deseja encontrar um dia com a tal da dona felicidade...

Daí fiquei pensando, por que será que tanta gente fala nisso como se não existisse ou fosse algo tão difícil quanto ganhar na loteria? Continuei pensando e cheguei ao seguinte pensamento... Será que é tão difícil ser feliz ou será que não estamos mais uma vez complicando e adiando coisas, situações, momentos, sonhos, vontades, encontros... FELICIDADE?

Na propaganda do supermercado tinha uma moça olhando para um garfo envolvido de macarrão, como se fosse a melhor comida do mundo!!! E por que não? Talvez o que torna algo ou alguma coisa tão importante, seja mesmo o significado que atribuímos! Se o raciocínio for este, talvez possamos entender da onde vem a felicidade em coisas simples, como o garfo de macarrão ou a fila que poderia andar mais rápido! Bom, talvez você esteja pensando... isso não é felicidade... é alegria. Seja lá o que for ou como pode ser chamado, o fato é que proporciona bem-estar, mesmo que por um curto espaço de tempo. Talvez você esteja pensando que felicidade deve ser algo mais grandioso. Não sei, na verdade não tenho intenção alguma de definir o que é felicidade. Acredito que pode ser tudo aquilo que nos faz bem, às vezes um bem maior... às vezes um bem menor. Tudo depende do significado! Consigo dizer que se estive com pessoas queridas numa tarde qualquer, vivi momentos de felicidade... se conclui algo que era muito importante para mim, também sinto felicidade... e por aí vai.

Gosto mais de viver e buscar momentos de felicidade... E você? Onde está sua felicidade, quando foi a última em vez que se permitiu vibrar por algo que aconteceu em sua vida? O que tem feito para que seja feliz?

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Cuide melhor de si mesmo... seja feliz!!!

Peço desculpas porque faz um tempo que não publico nada de minha autoria, confesso que alguns projetos tem ocupado bastante meu tempo e o término da minha pós-graduação com a entrega da monografia, me deixou um tanto distante ou pouco presente...

Para não deixar esse espaço sem o devido cuidado que merece... vou postar uma música que segue a linha das reflexões contidas no texto abaixo... espero que gostem! Abraços apertados e "sorrisos largos"... para todos, desejo um ótimo dia!



Música: O VELHO (Chico Buarque de Holanda)
.
.
O velho sem conselhos
De joelhos
De partida
Carrega com certeza
Todo o peso
Dessa vida
.
Então, eu lhe pergunto pelo amor
A vida inteira, diz que se guardou
Do carnaval, da brincadeira
Que ele não brincou
.
Me diga agora
O que é que eu digo ao povo
O que é que tem de novo
Pra deixar
.
Nada
Só a caminhada
Longa, pra nenhum lugar
.
O velho de partida
Deixa a vida
Sem saudades
Sem dívida, sem saldo
Sem rival
Ou amizade
.
Então, eu lhe pergunto pelo amor
Ele me diz que sempre se escondeu
Não se comprometeu
Nem nunca se entregou
.
Me diga agora
O que é que eu digo ao povo
O que é que tem de novo
Pra deixar
.
Nada
E eu vejo a triste estrada
Onde um dia eu vou parar
.
O velho vai-se agora
Vai-se embora
Sem bagagem
Não sabe pra que veio
Foi passeio
Foi passagem
.
Então, eu lhe pergunto pelo amor
Ele me é franco
Mostra um verso manco
De um caderno em branco
Que já se fechou
.
Me diga agora
O que é que eu digo ao povo
O que é que tem de novo
Pra deixar
.
Não
Foi tudo escrito em vão
E eu lhe peço perdão
Mas não vou lastimar
Não, não vou lastimar

terça-feira, 8 de junho de 2010

Pedras no caminho...


“Toda dificuldade é uma oportunidade que recebemos, uma oportunidade para crescer. Crescer é o único propósito da existência no planeta Terra. Não vamos crescer se ficarmos sentados em um belo jardim florido e alguém nos trazendo uma comida maravilhosa em uma bandeja de prata. Mas vamos crescer se ficarmos doentes, se sofrermos, se experimentarmos perdas, e ainda assim, não enfiarmos a cabeça na areia, mas enfrentarmos o sofrimento e aprendermos a aceitá-lo não como maldição ou punição, mas como um presente que nos é dado com um propósito muito, muito específico.

É isso que vai acontecer a todos vocês se estiverem sempre dispostos a olhar os dois lados de tudo o que acontece em sua vida. Nunca há apenas um lado para ser olhado. Vocês podem estar com uma doença terminal, podem sentir muitas dores, podem não encontrar ninguém para conversar sobre isso. Podem achar que é injusto serem arrancados na metade da vida, achar que realmente ainda não haviam começado a viver. Então, olhem o outro lado da moeda e, de repente, vocês são uma daquelas poucas pessoas afortunadas que podem jogar fora todas as bobagens que carregaram dentro de si a vida toda.

Quando tiverem feito isso, serão capazes de se aproximar de alguém e dizer: Eu o amo, enquanto esse alguém ainda conseguir ouvi-los e depois disso, vocês poderão passar por cima dos elogios ultrapassados. E, quando souberem que estão aqui por um tempo muito curto, poderão finalmente fazer as coisas que realmente querem fazer.”

(Elisabeth Kübler-Ross)
.
.
"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo."
(Fernando Pessoa)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Adote um adulto


Adote um adulto e ensine a ele coisas que ele já esqueceu.
Você pode adotar seu pai, mãe, tio, um amigo virtual,marido, namorado ...
O importante é encontrar alguém que precise ser adotado, precise voltar a ser criança. COMO ESCOLHER?

Humm!!! é fácil reconhecer os adultos que mais precisam ser adotados: eles costumam ser
ranzinzas,
mal-humorados e
cheios de coisas para fazer.
São sérios demais, vivem reclamando do que fazem,
não gostam de barulho, de música ou de coisas inesperadas.
Odeiam surpresas e geralmente não gostam de comer doces ou andar descalços.

Aposto que conhecemos muitos assim ...... ;o) !!!
O QUE FAZER?
Depois que tiver escolhido, chegue perto, de mansinho e com muita paciência,vá ensinando a ele como ser criança outra vez.
Faça um lindo desenho e dê a ele de presente.
Ensine-o a fazer as nuvens crescerem (na imaginação),
aprender a gostar de carinho
(comece com 1, 2, 3 beijinhos, beijo é bom !!), a acreditar em anjos, dragões (conte-lhes uma história aonde ele será o herói e matará o dragão feroz que existe dentro dele), a chupar pedrinha de gelo, a olhar o céu, só por um momento ...

O importante será não desistir ...e lembre-se, o que é fácil para nós, pode ser difícil para eles.
Muitos esqueceram a criança que existe dentro de cada um...


(Autor Desconhecido)

"CORRER RISCOS"

Vale a pena ler e refletir a respeito...
.
Rir é correr risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. Amar é correr o risco de não ser correspondido.Viver é correr o risco de morrer. Confiar é correr o risco de se decepcionar.Tentar é correr o risco de fracassar. Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada. Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade. Somente a pessoa que corre riscos é livre!
.
Seneca
(orador romano)

"A PORTA DO LADO"

Em entrevista dada pelo médico Drauzio Varella, disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada. E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente...
.
É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem (ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping). Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia.
Eu acho que esta história de dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior.
.
Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes. Será que nada dá errado pra eles? Dá aos montes. Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença.
.
O que não falta neste mundo é gente que se acha o último biscoito do pacote. Que "audácia" contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: fincam o pé, compram briga e não deixam barato.
.
Alguém aí falou em complexo de perseguição? Justamente.O mundo versus eles.
Eu entro muito pela outra porta, e às vezes saio por ela também. É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho, mas é um problema solúvel. E como esse, a maioria dos nossos problemões podem ser resolvidos assim, rapidinho. Basta um telefonema, um e-mail, um pedido de desculpas, um deixar barato.
.
Eu ando deixando de graça... Pra ser sincero, vinte e quatro horas têm sido pouco prá tudo o que eu tenho que fazer, então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.
.
Se eu procurar, vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem; pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia. Então eu uso a "porta do lado" e vou tratar do que é importante de fato.
.
Eis a chave do mistério, a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, a razão por que parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado."
.
Quando os desacertos da vida ameaçarem o seu bom humor, não estrague o seu dia... Use a porta do lado e mantenha a sua harmonia. Lembre-se, o humor é contagiante - para o bem e para o mal - portanto, sorria, e contagie todos ao seu redor com a sua alegria.A "Porta do lado" pode ser uma boa entrada ou uma boa saída... Experimente!
.
(Por Dráuzio Varella)